correoslista de correosrecibe automaticamente las actualizaciones a tu correosiguenos en tuitersiguenos en facebook siguenos en youtube

enlaceZapatista

Palabra del Ejército Zapatista de Liberación Nacional

Mar222018

PALAVRAS A NOME DAS MULHERES ZAPATISTAS NO INICIO DO PRIMEIRO ENCONTRO INTERNACIONAL, POLÍTICO, ARTÍSTICO, EPORTIVO E CULTURAL DE MULHERES QUE LUTAM.

8 de março de 2018.  Caracol de Zona Tzots Choj.

BOM DIA IRMÃS DO MÉXICO E DO MUNDO:

BOM DIA COMPANHEIRAS DA SEXTA NACIONAL E INTERNACIONAL:

BOM DIA COMPANHEIRAS DO CONGRESSO NACIONAL INDÍGENA E DO CONCELHO INDÍGENA DE GOVERNO:

BOM DIA COMPANHEIRAS COMANDANTAS, BASES DE APOIO, AUTORIDADES AUTÓNOMAS, RESPONSÁVEIS DA ÁREA, MILITARES E INSURGENTAS:

ANTES QUE NADA, QUEREMOS MANDAR UM GRANDE ABRAÇO À FAMILIA DA COMPAÑEIRA DA BAJA CALIFORNIA SUR, ELOISA VEGA CASTRO, DAS REDES DE APOYO AO CONCELHO INDÍGENA DE GOVERNO, QUE MORREU QUANDO ACOMPANHAVA A DELEGAÇÃO DO CIG NO ULTIMO 14 DE FEVEREIRO.

  ESPERAMOS ESTE DIA PARA SAUDAR A MEMORIA DE ELOISA PARA QUE NOSSO ABRAÇO FOSSE MAIS GRANDE E ALCANÇASSE A CHEGAR LONGE, DO OUTRO LADO DO MÉXICO.

  E ESTE ABRAÇO E ESTA SAUDAÇÃO SÃO GRANDES PORQUE SÃO DE TODAS AS ZAPATISTAS E DE TODOS OS ZAPATISTAS NESTE 8 DE MARÇO PARA ESSA MULHER QUE LUTOU E HOJE NOS FAZ FALTA: ELOISA VEGA CASTRO.  VAI NOSSO SENTIMIENTO PARA SUA FAMÍLIA.

IRMÃS E COMPANHEIRAS QUE NOS VISITAM:

OBRIGADO A TODAS QUE JÁ ESTÃO PRESENTES AQUI NESTE PRIMEIRO ENCONTRO INTERNACIONAL DE MULHERES QUE LUTAMOS.

OBRIGADO POR FAZER O ESFUERÇO PARA VIR DE TODOS OS MUNDOS A ESTE CANTO EM QUE ESTAMOS.

BEM SABEMOS QUE NÃO FOI FÁCIL CHEGAR ATÉ AQUI E QUE TALVEZ MUITAS MULHERES QUE LUTAN NÃO PUDERAM VIR A ESTE ENCONTRO.

MEU NOME É INSURGENTA ERIKA, POR QUE ASSIM NOS CHAMAMOS AS INSURGENTAS QUANDO NÃO FALAMOS DE INDIVIDUAL SENÃO DE COLETIVO.  SOU CAPITÃ INSURGENTE DE INFANTARIA E ME ACOMPANHAM OUTRAS COMPANHEIRAS INSURGENTAS E MILITARES DE DIFERENTES GRAOS.

NOSSO TRABALHO VAI SER CUIDAR ESTE LUGAR PARA QUE SÓ ESTEJAM MULHERES E NÃO DEIXAR QUE SE META NENHUM HOMEM.  PORQUE SABEMOS QUE SÃO MANHOSOS.

ENTÃO VÃO VER QUE ANDAMOS POR VARIOS LADOS E É PARA ISSO DE VIGIAR QUE NÃO ENTREM HOMENS E SE ENTRA UM VAMOS RETIRÁ-LO PORQUE CLARO SE DISSE QUE NÃO ESTÃO CONVIDADOS HOMENS E, PORTANTO, ELES TERÃO QUE FICAR DE FORA, E DEPOIS SE INFORMAM DO QUE ACONTECEU AQUÍ.

VOCÊS PODEM ANDAR ONDE QUEIRAM.  PODEM SAIR OU ENTRAR AS VEZES QUE QUEIRAN, SÓ NECESSITAM O CRACHÁ E PRONTO.  MAS OS HOMENS NÃO PODEM ENTRAR ATÉ QUE ACABE NOSSO ENCONTRO.

HÁ TAMBÉM COMPANHEIRAS PROMOTORAS DE SAÚDE E ALGUMAS DOUTORAS.  ENTÃO SE ALGUÉM SE ADOEÇA OU SE SINTA MAL, BASTA QUE NOS DIGAM A QUALQUER UMA DE NÓS E RÁPIDO AVISAMOS PARA QUE ATENDAM AS PROMOTORAS E SE É NECESSÁRIO REVISE A DOUTORA E SE É NECESSÁRIO TENEMOS UMA AMBULANCIA PRONTA PARA LEVAR A UM HOSPITAL.

HÁ TAMBÉM COMPANHEIRAS COORDENADORAS, TÉCNICAS DE SOM, DA LUZ, DA HIGIENE COMO DO LIXO E DOS BANHEIROS E PARA QUE ESTAS COMPANHEIRAS TAMBÉM POSSAM PARTICIPAR NO ENCONTRO LHES PEDIMOS QUE CUIDEM DO LIXO, DA HIGIENE, DOS BANHEIROS.

HOJE SOMOS MUITAS MÁS COMO SE FOSSEMOS UMA SÓ PARA RECEBERLAS E QUE SE SINTAM O MELHOR QUE SE POSSA DENTRO DAS NOSSAS CONDIÇÕES.

IRMÃS E COMPANHEIRAS:

NOSSA PALAVRA É COLETIVA, POR ISSO ESTÃO AQUÍ COMIGO MINHAS COMPANHEIRAS.

NESSE MOMENTO MEU TRABALHO É LER, MAS ESTA PALAVRA FOI ESCRITA EM COLETIVO COM TODAS AS COMPANHEIRAS QUE SÃO ORGANIZADORAS E COORDENADORAS NESTE ENCONTRO.

PARA NÓS COMO MULHERES ZAPATISTAS É UM ORGULHO MUITO GRANDE ESTAR AQUI COM VOCÊS E LHES AGRADECEMOS PORQUE NOS DERAM UM ESPAÇO PARA PARTILHAR COM VOCÊS NOSSAS PALAVRAS DE LUTA COMO MULHERES ZAPATISTAS QUE SOMOS.

COMO FALO EM NOME DE MINHAS COMPANHEIRAS, MINHA PALAVRA VAI ESTAR MISTURADA PORQUE SOMOS DE DIFERENTES IDADES E DE DIFERENTES LINGUAS, E TEMOS DIFERENTES HISTÓRIAS.

PORQUE EU MESMO TRABALHEI DE CRIADA EM UMA CASA DA CIDADE, ANTES DO LEVANTAMENTO, QUE CRESCÍ NA RESISTENCIA E REBELDÍA ZAPATISTAS DE NOSSAS AVÓS, MÃES E IRMÃS MAIORES.

EU MESMO VI COMO ESTÁ A SITUAÇÃO EM NOSSOS POVOS DESDE ANTES DA LUTA, UMA SITUAÇÃO MUITO DIFÍCIL DE EXPLICAR COM PALAVRAS E MAIS DIFÍCIL DE VIVER, VENDO COMO CRIANÇAS MORRIAM DE ENFERMEDADES CURÁVEIS, JÓVENS, ADULTOS, ANCIÃOS E ANCIÃS.

E TUDO POR FALTA DE ATENÇÃO MÉDICA, DE BOA ALIMENTAÇÃO, DE EDUCAÇÃO.

MAS TAMBÉM MORRÍAMOS POR SER MULHERES E MORRÍAMOS MAIS.

NÃO HAVÍA CLÍNICAS E ONDE HAVÍA FICAVA LONGE. E OS DOUTORES DO MAL GOVERNO NÃO NOS ATENDEM PORQUE NÃO SABEMOS FALAR ESPANHOL E PORQUE NÃO TEMOS DINHEIRO.

NA CASA ONDE TRABALHEI DE CRIADA NÃO TINHA SALARIO, NÃO SABIA FALAR ESPANHOL E NÃO PODIA ESTUDAR MAIS, SÓ APRENDI UM POUCO DE FALAR.

DEPOIS SOUBE QUE TEM UMA ORGANIZAÇÃO QUE LUTA E COMECEI A PARTICIPAR COMO BASE DE APOIO E SAÍA NAS NOITES A ESTUDAR E VOLTAR JÁ AMANHECENDO PORQUE NESSA ÉPOCA NINGUÉM SABÍA DA LUTA QUE FAZÍAMOS PORQUE ERA TUDO CLANDESTINO.

NESSA ÉPOCA PARTICIPAVA EM TRABALHOS COLETIVOS COM OUTRAS MULHERES ZAPATISTAS COMO NO ARTESANATO, PLANTAR FEIJÃO, ROÇA, GRANJA.

E TUDO O FAZÍAMOS CLANDESTINO PORQUE SE TÍNHAMOS REUNIÕES OU ESTUDOS POLÍTICOS, TÍNHAMOS QUE DIZER DE OUTRA MANEIRA PORQUE ALGUNS NÃO SABIAM NADA NEM NAS SUAS PRÓPRIAS FAMÍLIAS.

MAS TAMBÉM NASCI E CRESCI DEPOIS DO INICIO DA GUERRA.

NASCI E CRESCI COM OS VEICULOS MILITARES RONDANDO NOSSAS COMUNIDADES E CAMINHOS, ESCUTANDO OS SOLDADOS DIZER GROSSERIAS AS MULHERES SÓ PORQUE ELES ERAM HOMENS ARMADOS E NÓS ERAMOS E SOMOS MULHERES.

MAS NÃO TIVEMOS MEDO ASSIM EM COLETIVO, E DECIDIMOS LUTAR E APOIAR-NOS EM COLETIVO COMO MULHERES ZAPATISTAS QUE SOMOS.

ASSIM APRENDEMOS QUE PODEMOS DEFENDER E QUE PODEMOS DIRIGIR.

E NÃO FORAM PALAVRAS DE UM DISCURSO, DE VERDADE PEGAMOS EM ARMAS E LUTAMOS CONTRA O INIMIGO, E DE VERDADE TOMAMOS O COMANDO E DIRIGIMOS COMBATES COM MAIORIA DE HOMENS EM NOSSAS TROPAS.

E NOS OBEDECERAM PORQUE NÃO IMPORTAVA SE ERA HOMEM OU MULHER, MAS SE ESTAVA DISPOSTA A LUTAR SEM RENDER-SE, SEM VENDER-SE E SEM CLAUDICAR.

E MESMO SEM TER ESTUDOS, O QUE TÍNHAMOS ERA MUITA RAIVA, MUITA DOR DE TUDO O QUE NOS FAZEM.

PORQUE VIVI O DESPREZO, A HUMILHAÇÃO, AS CHACOTAS, AS VIOLENCIAS, AS AGREÇÕES, AS MORTES POR SER MULHER, POR SER INDÍGENA, POR SER POBRE E AGORA POR SER ZAPATISTA.

E SAIBAM QUE NEM SEMPRE ERA HOMEM QUEM ME EXPLORAVA, ME ROUBAVA, ME HUMILHAVA, ME AGREDIA, ME DESPREZAVA, ME MATAVA.

TAMBÉM MUITAS VECES ERA MULHER QUEM ASSIM ME FAZÍA.  E AINDA ASSIM FAZEM.

E TAMBÉM CRESCI NA RESISTÊNCIA E VI COMO MINHAS COMPANHEIRAS LEVANTARAM ESCOLAS, CLÍNICAS, TRABALHOS COLETIVOS, E GOVERNOS AUTONOMOS.

E VI FESTAS PÚBLICAS, ONDE TODAS SABÍAMOS QUE ÉRAMOS ZAPATISTAS E SABÍAMOS QUE ESTÁVAMOS JUNTAS.

E VI QUE A REBELDIA, QUE A RESISTÊNCIA, QUE A LUTA, É TAMBÉM UMA FESTA, MESMO QUE AS VEZES NÃO HAJA MÚSICA NEM DANÇA E SÓ HAJA O SUOR DOS TRABALHOS, DA PREPARAÇÃO, DA RESISTÊNCIA.

E VEJA QUE DONDE ANTES SÓ SE PODÍA MORRER POR SER INDÍGENA, POR SER POBRE, POR SER MULHER, CONSTRUÍAMOS EM COLETIVO OUTRO CAMINHO DE VIDA: A LIBERDADE, NOSSA LIBERDADE.

E VEJA QUE DONDE ANTES SÓ TÍNHAMOS A CASA E O CAMPO, AGORA TEMOS ESCOLAS, CLÍNICAS, TRABALHOS COLETIVOS ONDE COMO MULHERES USAMOS APARELHOS E DIRIGIMOS A LUTA, MESMO COM ERROS, MAS AÍ VAMOS AVANÇANDO, SEM QUE NINGUÉM NOS DIGA COMO DEVEMOS FAZER SENÃO NÓS MESMAS.

E AGORA VEJO QUE TEMOS AVANZADO, MESMO QUE SEJA UM POUCO, MAS SEMPRE ALGO.

E NÃO PENSEM QUE FOI FÁCIL.  COSTOU MUITO E CONTINUA CUSTANDO MUITO.

E NÃO SÓ PELO DESPREZÍVEL SISTEMA CAPITALISTA QUE QUER NOS DESTRUIR, TAMBÉM PORQUE TEMOS QUE LUTAR CONTRA O SISTEMA QUE FAZ OS HOMENS ACREDITAR E PENSAR QUE NÓS MULHERES SOMOS MENOS E NÃO PRESTAMOS.

E AS VEZES TAMBÉM, TEMOS QUE DIZER, MESMO ENTRE MULHERES NOS MACHUCAMOS E FALAMOS MAL UMAS DAS OUTRAS, OU SEJA, NÃO NOS RESPEITAMOS.

PORQUE NÃO SÓ OS HOMENS, TAMBÉM HÁ MULHERES DAS CIDADES QUE NOS DESPREZAM PORQUE DIZEM QUE NÃO SABEMOS DA LUTA DE MULHERES, PORQUE NÃO LEMOS LIVROS ONDE AS FEMINISTAS EXPLICAM COMO DEVE SER E TANTAS COISAS QUE DIZEM E CRITICAM SEM SABER COMO É NOSSA LUTA.

PORQUE UMA COISA É SER MULHER, OUTRA É SER POBRE E UMA MUITO OUTRA É SER INDÍGENA.  E AS MULHERES INDÍGENAS QUE ME ESCUTAN SABEM BEM.  E OUTRA COISA MUITO OUTRA E MAIS DIFÍCIL É SER MULHER INDÍGENA ZAPATISTA.

E CLARO SABEMOS QUE NOS FALTA MUITO AINDA, MAS COMO SOMOS MULHERES ZAPATISTAS, NÃO NOS RENDEMOS, NÃO NOS VENDEMOS E NÃO MUDAMOS NOSSO CAMINHO DE LUTA, OU SEJA QUE NÃO CLAUDICAMOS.

E QUE TANTO PODEMOS FAZER, POIS AQUI VOCÊS VEJAM NESTE ENCONTRO, PORQUE O ORGANIZAMOS ENTRE MULHERES ZAPATISTAS.

PORQUE NÃO FOI UMA IDEIA QUE SURGIU ASSIM DO NADA.

FAZ VARIOS MESES, QUANDO O CONGRESSO NACIONAL INDÍGENA E O CONCELHO INDÍGENA DE GOVERNO DSSERAM QUE COMO MULHERES VAMOS DIZER QUE NÃO TEMOS MEDO OU QUE TEMOS, MAS O CONTROLAMOS, NÓS COMEÇAMOS A PENSAR EM COLETIVO QUE TAMBÉM TEMOS QUE FAZER ALGO.

ASSIM QUE EM TODAS AS ZONAS, NOS COLETIVOS DE MULHERES GRANDES E PEQUENOS SE COMEÇOU A DISCUTIR O QUE FAZER COMO MULHERES ZAPATISTAS QUE SOMOS.

E NO COMPARTE DO ANO PASSADO SAIU A IDEA QUE SÓ AS MUJERES ZAPATISTAS VAMOS FALAR E HONRAR O CONCELHO INDÍGENA DE GOVERNO.  E ASSIM FIZEMOS, PORQUE SÓ AS MULHERES RECEBEMOS A NOSSAS COMPANHEIRAS DO CONCELHO INDÍGENA DE GOVERNO E A PORTA-VOZ MARICHUY QUE AQUI ESTÁ PRESENTE.

MAS NÃO É SÓ ISSO, TAMBÉM NOS COLETIVOS PENSAMOS E DISCUTIMOS QUE TEMOS QUE FAZER MAIS PORQUE VEMOS ALGO QUE ESTÁ ACONTECENDO.

E O QUE VEMOS, IRMÃS E COMPANHEIRAS, É QUE ESTÃO NOS MATANDO.

E QUE NOS MATAM PORQUE SOMOS MULHERES.

COMO SE FOSSE NOSSO DELITO E NOS PÕEM A SENTENÇA DE MORTE.

ENTÃO PENSAMOS EM FAZER ESTE ENCONTRO E EM CONVIDAR A TODAS AS MULHERES QUE LUTAM.

E VOU LHES DIZER POR QUE PENSAMOS ISSO:

AQUI ESTÃO PRESENTES MULHERES DE MUITAS PARTES DO MUNDO.

HÁ MULHERES QUE TÊM GRANDES ESTUDOS, QUE SÃO DOUTORAS, LICENCIADAS, INGENHEIRAS, CIENTISTAS, PROFESSORAS, ESTUDANTES, ARTISTAS, DIRIGENTAS.

BOM, NÓS NÃO TEMOS MUITOS ESTUDOS, ALGUMAS APENAS FALAMOS ALGO DE ESPANHOL.

VIVEMOS NESTAS MONTANHAS, AS MONTANHAS DO SUDESTE MEXICANO.

AQUI NASCEMOS, AQUI CRESCEMOS.  AQUI LUTAMOS.  AQUI MORREMOS.

E VEMOS POR EXEMPLO ESSAS ÁRVORES QUE ESTÃO LÁ E QUE VOCÊS DIZEM QUE É “BOSQUE” E NÓS DIZEMOS “MONTE”.

BOM, MAS SABEMOS QUE NESSE BOSQUE, NESSE MONTE, HÁ MUITAS ÁRVORES QUE SÃO DIFERENTES.

E SABEMOS QUE HÁ, POR EXEMPLO, OCOTE OU PINHEIRO, HÁ CAOBA, HÁ CEDRO, HÁ BAYALTÉ, E HÁ MUITOS TIPOS DE ÁRVORES.

MAS TAMBÉM SABEMOS QUE CADA PINHEIRO OU CADA OCOTE NÃO É IGUAL, SENÃO QUE CADA UM É DIFERENTE.

SABEMOS, SIM, MAS QUANDO VEMOS ASSIM DIZEMOS QUE É UM BOSQUE, OU QUE É UM MONTE.

BOM, AQUI ESTAMOS COMO UM BOSQUE OU COMO UM MONTE.

TODAS SOMOS MULHERES.

MAS SABEMOS QUE HÁ DE DIFERENTES CORES, TAMANHOS, LINGUAS, CULTURAS, PROFISSÕES, PENSAMENTOS E FORMAS DE LUTA.

MAS DIZEMOS QUE SOMOS MULHERES E ALÉM DISSO QUE SOMOS MULHERES QUE LUTAM.

ENTÃO SOMOS DIFERENTES, MAS SOMOS IGUAIS.

E MESMO HAVENDO MULHERES QUE LUTAM E NÃO ESTÃO AQUI, TAMBÉM PENSAMOS NELAS MESMO QUE NÃO AS VEJAMOS.

E TAMBÉM SABEMOS QUE HÁ MULHERES QUE NÃO LUTAM, QUE SE CONFORMAM, OU SEJA, DESMAIAM.

E ENTÃO EM TODO O MUNDO PODEMOS DIZER QUE HÁ MULHERES, UM BOSQUE DE MULHERES, E O QUE AS FAZ IGUAIS É QUE SÃO MULHERES.

MAS ENTÃO NÓS, COMO MULHERES ZAPATISTAS, VEMOS ALGO MAIS QUE ESTÁ ACONTECENDO.

É QUE TAMBÉM NOS FAZ IGUAIS A VIOLÊNCIA E A MORTE QUE NOS FAZEM.

ASSIM VEMOS O MODERNO DESTE SISTEMA CAPITALISTA DE MERDA.  VEMOS QUE FEZ BOSQUE AS MULHERES DE TODO O MUNDO COM SUA VIOLÊNCIA E SUA MORTE QUE TEM A CARA, O CORPO E A CABEÇA SEM-VERGONHA DO PATRIARCADO.

ENTÃO DIZEMOS QUE AS CONVIDAMOS PARA FALARMOS, PARA ESCUTAR-NOS, PARA VER-NOS, PARA FESTEJARMOS.

PENSAMOS QUE SEJA SÓ MULHERES PARA QUE POSSAMOS FALAR, ESCUTAR, VER, FESTAR SEM O OLHAR DOS HOMENS, NÃO IMPORTA SE SÃO BONS HOMENS OU MAUS HOMENS.

O QUE IMPORTA É QUE SOMOS MULHERES E QUE SOMOS MULHERES QUE LUTAMOS, OU SEJA, QUE NÃO ESTAMOS CONFORMES COM O QUE ACONTECE E CADA UMA, AO SEU MODO, SEU TEMPO, SEU LUGAR, AÍ LUTA, OU SEJA, SE REBELA. ENFEZA E FAZ ALGO.

ENTÃO DIZEMOS, IRMÃS E COMPANHEIRAS, QUE PODEMOS ESCOLHER O QUE VAMOS FAZER NESTE ENCONTRO.

OU SEJA, QUE PODEMOS ELEGER.

PODEMOS ESCOLHER COMPETIR PARA VER QUEM É MELHOR, QUEM TEM A MELHOR PALAVRA, QUEM É MAIS REVOLUCIONARIA, QUEM É MAIS PENSADORA, QUEM É MAIS RADICAL, QUEM É MAIS BEM PORTADA, QUEM É MAIS LIBERADA, QUEM É MAIS BONITA, QUEM ESTÁ MAIS GOSTOSA, QUEM DANÇA MELHOR, QUEM PINTA MAIS BONITO, QUEM CANTA BEM, QUEM É MAIS MULHER, QUEM GANHA NO ESPORTE, QUEM LUTA MAIS.

COMO SEJA NÃO VAI TER HOMENS QUE DIGAM QUEM GANHA E QUEM PERDE.  SÓ NÓS.

OU PODEMOS ESCUTAR E CONVERSAR COM RESPEITO COMO MULHERES DE LUTA QUE SOMOS, PODEMOS NOS PRESENTEAR DANÇA, MÚSICA, CINE, VÍDEO, PINTURA, POESÍA, TEATRO, ESCULTURA, DIVERSSÃO, CONHECIMENTO E ASSIM ALIMENTAR NOSSAS LUTAS QUE CADA UMA TEM ONDE ESTAMOS.

ENTÃO PODEMOS ESCOLHER, IRMÃ E COMPANHEIRAS.

OU COMPETIMOS ENTRE NÓS E NO FINAL DO ENCONTRO, QUANDO VOLTEMOS A NOSSOS MUNDOS, VAMOS PERCEBER QUE NINGUÉM GANHOU.

OU COMBINAMOS LUTAR JUNTAS, COMO DIFERENTES QUE SOMOS, CONTRA O SISTEMA CAPITALISTA PATRIARCAL QUE É QUEM ESTÁ NOS VIOLENTANDO E ASSASSINANDO.

AQUI NÃO IMPORTA A IDADE, SE SÃO CASADAS, SOLTEIRAS, VIUVAS OU DIVORCIADAS, SE SÃO DA CIDADE OU DO CAMPO, SE SÃO PARTIDISTAS, SE SÃO LESBICAS OU ASEXUAL OU TRANSGENERO OU COMO SE DIGA CADA UMA, SE TÊM ESTUDOS OU NÃO, SE SÃO FEMINISTAS OU NÃO.

TODAS SÃO BEM-VENDAS E, COMO MULHERES ZAPATISTAS, VAMOS ESCUTÁ-LAS, VAMOS VÊ-LAS E VAMOS CONVERSAR COM RESPEITO.

NOS ORGANIZAMOS PARA QUE EM TODAS AS ATIVIDADES, EM TODAS, ESTEJA ALGUMAS DE NÓS QUE LEVE SUA MENSAGEM A NOSSAS COMPANHEIRAS NOS POVOADOS E COMUNIDADES.

VAMOS PÔR UMA MESA ESPECIAL PARA RECEBER SUAS CRÍTICAS, AÍ PODEM ENTREGAR OU DIZER O QUE ACHAM QUE FIZEMOS OU FAZEMOS MAL.

AÍ VAMOS VER E ANALIZAR E, SE É VERDADE O QUE DIZEM, VAMOS VER COMO FAZEMOS PARA MELHORAR.

E SE NÃO É VERDADE, COMO SEJA VAMOS PENSAR POR QUE NOS DIZEM ISSO.

O QUE NÃO VAMOS FAZER É PÔR A CULPA NOS HOMENS OU NO SISTEMA DOS ERROS QUE SÃO NOSSOS.

PORQUE A LUTA POR NOSSA LIBERDADE COMO MULHERES ZAPATISTAS QUE SOMOS É NOSSA.

NÃO É TRABALHO DOS HOMENS NEM DO SISTEMA DAR NOSSA LIBERDADE.

AO CONTRARIO, PARECE QUE O TRABALHO DO SISTEMA CAPITALISTA PATRIARCAL É NOS MANTER SUBMISSAS.

SE QUEREMOS SER LIVRES TEMOS QUE CONQUISTAR A LIBERDADE NÓS MESMAS COMO MULHERES QUE SOMOS.

VAMOS VÊ-LAS E ESCUTÁ-LAS COM RESPEITO, COMPANHEIRAS E IRMÃS.

DO QUE VEMOS E ESCUTEMOS, SABEREMOS TOMAR O QUE NOS AJUDE NA NOSSA LUTA COMO MULHERES ZAPATISTAS QUE SOMOS, E O QUE NÃO, POIS NÃO.

MAS NÓS NÃO JULGAREMOS A NINGUÉM.

NÃO DIREMOS QUE ISTO ESTÁ BEM OU ESTÁ MAL.

NÃO AS CONVIDAMOS PARA JULGÁ-LAS.

TAMBÉM NÃO AS CONVIDAMOS PARA COMPETIR.

AS CONVIDAMOS PARA ENCONTRAR-NOS COMO DIFERENTES E COMO IGUAIS.

AQUI ESTAMOS COMPANHEIRAS ZAPATISTAS DE DIFERENTES LINGUAS ORIGINARIAS.  JÁ VÃO ESCUTAR AS PALAVRAS COLETIVAS DAS MULHERES DE CADA ZONA.

NÃO ESTAMOS TODAS.

SOMOS MUITAS MAIS E É MUITA MAIS A RAIVA E A DOR QUE TEMOS.

MAS NÃO SÓ POR NÓS É NOSSA RAIVA, OU SEJA, NOSSA LUTA, MAS SIM POR TODAS AS MULHERES QUE SÃO VIOLENTADAS, ASSASSINADAS, VIOLADAS, ESPANCADAS, INSULTADAS, DESPREZADAS, DESAPARECIDAS, PRESAS.

ENTÃO TE DIZEMOS, IRMÃ E COMPANHEIRA, QUE NÃO PEDIMOS QUE VENHAM LUTAR POR NÓS, ASSIM COMO TAMBÉM NÃO VAMOS IR LUTAR POR VOCÊS.

CADA UMA CONHECE SEU RUMO, SEU MODO E SEU TEMPO.

O ÚNICO QUE LHES PEDIMOS É QUE CONTINUEM LUTANDO, QUE NÃO SE RENDAM, QUE NÃO SE VENDAM, QUE NÃO RENUNCIEM A SER MULHERES QUE LUTAM.

E PARA TERMINAR LHES PEDIMOS ALGO ESPECIAL NESSES DIAS QUE VÃO ESTAR COM NÓS.

VEM DE VARIAS PARTES DO MÉXICO E DO MUNDO, IRMÃS E COMPANHEIRAS JÁ DE IDADE, “DE JUIZO” DIZEMOS NÓS.

SÃO MULHERES QUE JÁ TÊM ANOS E QUE LUTAM.

ENTÃO PEDIMOS QUE LHES TENHAM RESPEITO E CONSIDERAÇÃO ESPECIAL, PORQUE NÓS QUEREMOS CHEGAR A SER COMO ELAS, CHEGAR A TER IDADE E SABER QUE CONTINUAMOS LUTANDO.

QUEREMOS CHEGAR A SER MAIORES DE IDADE E PODER DIZER QUE TEMOS MUITOS ANOS E QUE CADA ANO QUER DIZER UM ANO DE LUTA.

MAS PARA ISSO TEMOS QUE ESTAR VIVAS.

POR ISSO ESTE ENCONTRO É PELA VIDA.

E NINGUÉM VAI NOS DAR ISSO, IRMÃS E COMPANHEIRAS.

NEM O DEUS, NEM O HOMEM, NEM O PARTIDO POLÍTICO, NEM UM SALVADOR, NEM UM LÍDER, NEM UMA LÍDER, NEM UMA CHEFE.

TEMOS QUE LUTAR PELA VIDA.

FAZER O QUE? ESSA É NOSSA VEZ, E VOCÊS IRMÃS E COMPANHEIRAS, E A TODAS AS MULHERES QUE LUTAM.

TALVEZ, QUANDO ACABE O ENCONTRO, QUANDO VOLTEM A SEUS MUNDOS, A SEUS TEMPOS, A SEUS MODOS, ALGUIÉM LHES PERGUNTE SE HOUVE ALGUM ACORDO. PORQUE ERAM MUITOS PENSAMENTOS DIFERENTES OS QUE CHEGARAM NESTAS TERRAS ZAPATISTAS.

TALVEZ ENTÃO VOCÊS RESPONDAM QUE NÃO.

OU TALVEZ RESPONDAM QUE SIM, QUE SIM FIZEMOS UM ACORDO.

E TALVEZ, QUANDO LHES PERGUNTEN QUAL FOI O ACORDO, VOCÊS DIGAM “DECIDIMOS VIVER, E COMO PARA NÓS VIVER É LUTAR, DECIDIMOS LUTAR CADA UMA A SEU MODO, SEU LUGAR E SEU TEMPO”.

E TALVEZ TAMBÉM RESPONDAM “E NO FINAL DO ENCONTRO DECIDIMOS VOLTAR A ENCONTRAR-NOS O ANO QUE VEM EM TERRAS DAS ZAPATISTAS PORQUE ELAS NOS CONVIDARAM OUTRA VEZ”.

É TODA NOSSA PALAVRA, OBRIGADO POR ESCUTAR-NOS.

QUE VIVA TODAS AS MULHERES DO MUNDO!

QUE MORRA O SISTEMA PATRIARCAL!

 

Share

No hay comentarios »

No hay comentarios todavía.

RSS para comentarios de este artículo.

Deja un comentario

Notas Importantes: Este sitio web es de la Comisión Sexta del EZLN. Esta sección de Comentarios está reservada para los Adherentes Registrados y Simpatizantes de la Sexta Declaración de la Selva Lacandona. Cualquier otra comunicación deberá hacerse llegar por correo electrónico. Para evitar mensajes insultantes, spam, propaganda, ataques con virus, sus mensajes no se publican inmediatamente. Cualquier mensaje que contenga alguna de las categorías anteriores será borrado sin previo aviso. Tod@s aquellos que no estén de acuerdo con la Sexta o la Comisión Sexta del EZLN, tienen la libertad de escribir sus comentarios en contra en cualquier otro lugar del ciberespacio.


Archivo Histórico

1993     1994     1995     1996
1997     1998     1999
2000     2001     2002     2003
2004     2005     2006
2007     2008     2009     2010
2011     2012     2013
2014     2015     2016     2017

Comunicados de las JBG Construyendo la autonomía Comunicados del CCRI-CG del EZLN Denuncias Actividades Caminando En el Mundo Red nacional contra la represión y por la solidaridad