lista de correosrecibe automaticamente las actualizaciones a tu correosiguenos en tuitersiguenos en facebook

enlaceZapatista

Palabra del Ejército Zapatista de Liberación Nacional

Ene192017

Algumas primeiras perguntas às Ciências e suas Consciências

Algumas primeiras perguntas às Ciências e suas Consciências

26 de dezembro de 2016.

Científicas e Científicos:

Compás da Sexta:

Videntes e Ouvintes aqui e à distância:

Bom dia, tarde, noite, madrugadas sempre.

 

Meu nome é SupGaleano. Como apenas tenho um pouco mais de dois anos e meio de idade, o que antes se chamava “curriculum vitae”, e agora se diz “meu perfil de usuário” é muito breve. Ademais de ser insurgente e zapatista, tenho varias profissões. Por exemplo, uma delas é a de incomodar as boas consciências e despertar os mais baixos instintos das más, mostrando minhas evidentes e sedutoras formas voluptuosas – que consegui, com não poucos esforços, graças a uma rigorosa dieta rica em uvas, com farta manteiga e comida rápida à discrição.

Sou também, apesar de mim e de não poucos leitores, o escrivão involuntário dos “subs” e um baixo ser, mitológico para as pessoas maiores de 12 anos, e de uma obviedade existencial para qualquer pessoa apaixonada pela ciência e para qualquer menino, menina ou criança que aprecie a não se preocupar pelo calendário como que não seja para julgar. Refiro-me, claro, a esse ente cuja só existência real colocaria abaixo o darwinismo social e biológico, e marcaria o surgimento e um novo paradigma epistêmico: o gato-cão. Talvez, quando esta entidade abandone a prisão da palavra, haverá de partir a historia mundial e seu calendário se definirá com um “antes e depois do gato-cão”.

(O Sup tira duas figurinhas do gato-cão, talhadas em madeira e pintadas pelas mãos insurgentes)

Também, me dedico ás vezes, e por indicação de minhas chefas e chefes, a alentar as teorias paranoicas de complôs contra a sempre “sofrida”, “abnegada” e bem comportada esquerda institucional que, a falta de argumentos e propostas reais, refugia-se no papel de vitima perene, esperando que a lástima se traduza em votos, e que o fanatismo supra o raciocínio e a um mínimo decoro.

Outra de minhas profissões é de transgressor de leis como a da gravidade, da seriedade e a de bons modos.

Uma mais, nesta ocasião é a que vem ao caso, ou coisa, segundo, é a de alquimista. Em realidade, deveria ser de científico, porém como ainda não logro transformar a essência de uma coisa em seu contrário-contraditório, não me outorgou o nível que minha louvável  ocupação devera. Porém, não ainda que, em meu laboratório sigo experimentando com alcatrazes e provetas, baixo o olhar sempre critico do gato-cão, tratando de anular a essência dessa aberração da natureza que á a sopa de abóboras, e lograr transmutá-la, em muito amável e nutritivo sorvete de nozes que, junto às pipocas de milho e ao molho picante, são algumas das poucas coisas, que a ciência produziu em beneficio da humanidade e que nos diferenciam, junto ao polegar oposto, e apesar do espécime Donald Trump, dos primatas não humanos.

E, pelo mesmo, pois a mim toca-me hoje tratar de fazer-lhes sentir, e não saber, a alegria que temos como zapatistas que somos, de que haja respondido positivamente a nosso convite e de que, ainda apesar do calendário, hajam encontrado o modo e o meio para participar neste encontro.

Como zapatistas levamos a esperá-los já quase 23 anos. Como povos originários, bom, pois saquem a conta com a ciência da matemática.

Claro, muitas, muitos dirão que não é a primeira vez, que já estiveram em corpo ou coração, e têm razão. Hão estado, porém não assim como nestes dias estarão, é dizer, sendo o que são para ensinar e, talvez – é uma suposição-, para algo aprender com o que somos.

Nós, zapatistas, agora estamos aqui como seus alunos, seus estudantes, seus aprendizes.

Ainda que dispostos a aprender como o quê mais, somos alunas e alunos muitas outras, outros. E para que continuem nos conhecendo como zapatistas, então começamos dizendo-lhes que não queremos e o que sim queremos.

Por exemplo, não os ajudaremos a carregar os livros, nem a preparar a bibliografia, nem a conseguir os materiais para o laboratório.

Tão pouco, vão esperar que não chegasse, a dar a aula para irmos de pinta. Não estamos buscando uma boa qualificação, ou creditar uma matéria, ou ter um título, ou, ao terminar os estudos, por um negócio de ciência ou pseudociência, ou de ciência falsa escondida detrás de um papel com timbre oficial.

Não aspiramos a lucrar com o conhecimento, nem a obter ganhos e prestigio oferecendo as contas de vidro que são as pseudociências e as filosofias de “o cambio está em si mism@”, “esta beberagem- partido-político-líder-de-ocasião-os-trará-a-felicidade”, que se põe em moda ou não em tempos de crise, quando o menos comum dos sentidos, o sentido comum, é derrotado pela oferta de soluções mágicas para todos e para tudo.

Não concebemos ao conhecimento como símbolo de status social ou medida de inteligência. Já vem que qualquer pode se graduar prévio crédito da matéria de plágio, ou pode parentar ter soluções reais graças a cada vez mais desgastada magia dos meios de comunicação massiva.

Não queremos ir à Universidade, queremos que a universidade se levante em nossas comunidades, que ensine e aprenda junto a nossa gente.

 

Não queremos ir aos grandes laboratórios e centros de investigação científica das metrópoles, queremos que se construam aqui.

Queremos que, em lugar de quarteis de exércitos e policiais, de minas a céu aberto e hotéis de luxo, se edifiquem baixo nossa direção e operação coletivas, observatórios astronômicos, laboratórios, oficinas de física e robótica, os postos de observação, estudo e conservação da natureza, e até um Colisor de Hádrons, ou algo que permita liberar ao Gráviton da prisão hipotética de partícula idem, e começar a definir assim. De uma vez por todas, se os físicos que sustentam a Teoria de Cordas, são só membros de um neo culto mal logrado ou um grupo de científicos paradigmáticos.

Queremos que se ergam escolas, para a formação de científicos, não oficinas disfarçadas de escola, que ensinam só ofícios de trabalho ao serviço do capitalismo (mão de obra barata e mal qualificada), ou que só servem  para entreter o tempo e que os maus governos, ou quem aspiram a sê-lo, digam que fizeram novas escolas ou institutos.

Queremos estudos científicos, não só técnicos.

Não só queremos saber manejar ou arrumar um veículo uma máquina de costurar, uma ferramenta de carpintaria, um microscópio; também queremos saber quais são os princípios científicos dos movimentos mecânicos e da física ótica, e o que é a combustão; queremos conhecer que não é o mesmo, a velocidade e a aceleração. Assim como não há que confundir valor e preço.

Não queremos entrar a competências científicas e tecnológicas, essas que tanto entusiasmam as universidades públicas e privadas, para ver que máquina e maquinista são melhores; queremos aprender e fazer ciências e tecnologia para ganhar a única competência que vale a pena: a da vida contra a morte.

Não queremos ir as grandes cidades e perder-nos aí. E não é por falta de saberes (nossos meninos e meninas que se formaram em escolas autônomas têm maior nível de conhecimento, do que quem foi educado em escolas oficiais), nem por falta de inteligência, nem por falta de pagamento.

É que não queremos deixar de ser o que somos. E somos povos originários, indígenas dizem. E o que nos faz ser o que somos é nossa terra, nossa gente, nossa história, nossa cultura e, como zapatistas, nossa luta.

Em resumo, queremos entender o mundo, conhecê-lo. Porque só conhecendo, poderemos fazer um novo, um grande mundo melhor.

-*-

Um velho sabedor dos povos originários, puro sangue, mexicano de geografia e internacionalista de coração, o Pai Grande Juan Chávez Alonso, disse alguma vez que a vida nos povos originários era, entre outras coisas, uma contínua preparação.

“Temos que preparar-nos para tudo: para nascer, pra crescer, para amar, para odiar, para aprender, para construir, para destruir, para lutar, para morrer, E ao final, isso é o que realmente deixamos aos que seguem”. Não lhes herdaremos riquezas, sobrenomes, postos.

Só lhes deixamos a esperança de que há que preparar-se. “Para tudo, todo o tempo, em todo lugar.”

E por isso, vocês devem saber que, desde meses, nos preparamos para esses dias.

Não estamos chegando à frente de vocês assim no mais, para ver o que dizem como é, qual é seu modo, seu tempo, sua geografia. Não, se não que, com tempo nos preparamos.

Porque a dúvida que nos move, a curiosidade científica, o afã de aprender, de conhecer, vem desde tempos, tanto que os calendários científicos não levam em conta.

Por exemplo, preparamos as perguntas.

Porque sabemos bem que, assim como aqueles que sabem,  têm que se prepararem para ensinar, assim também aqueles que não sabem, que temos que nos prepara para aprender.

E também sabemos que, assim como se tem que estudar para dar respostas, pois  também se tem que estudar para fazer perguntas.

E não há sido fácil. Porque, por exemplo, tivemos que estudar como se escreve e se diz umas palavras como “anabólicos”, “salbuteros”, “clenbuterol”, “preeclampsia” e “eclampsia”; tivemos que saber que se diz “o” mioma e não “a” mioma; tivemos que buscar a forma de explicar-lhes o que é isso de “arrebenta pescado”; e assim como outras coisas que vemos em nosso mundo como indígenas que somos.

Reunimo-nos várias vezes. Primeiro se fez uma assembleia zonal. Aí se elegeram aos que vão participar neste encontro, segundo sua área, que seu promotor de saúde, de educação, de agroecologia, de plantas medicinais, de rádio comunitária, de parteir@s e osseir@s, etc. Não importa se é jovem ou de idade, não importa se tem 15 anos ou 524 anos. Isso sim, que entenda “a castilha”, para poder entender vocês. E claro que lhe interesse a ciência.

Logo as companheiras e companheiros que fomos selecionados, no reunimos várias vezes para preparar as perguntas. As primeiras perguntas e mais importantes que nos fizemos são: o que vamos a perguntar a estas irmãs e irmãos científicos, será que só lhes perguntamos do que sabem de sua ciência, ou também perguntamos como veem a situação, se veem que está “cabreira”, ou tranquila tudo?  Perguntamos de como lutam pela justiça e a liberdade?

Então, nessas reuniões que tivemos, preparamos algumas destas perguntas que vamos a ler. Como se darão por conta, várias dessas perguntas não corresponde às ciências exatas e naturais, assim que já terá ideia de qual será o próximo encontro. Vão as perguntas:

Os transgênicos danam a mãe natureza e aos seres humanos, ou não lhes danam?

Existe alguma explicação científica de por que, em algumas regiões, em valetas onde em tempo de seca não há água, ao inicio das primeiras chuvas (nos meses de maio e junho), brota a produção de peixes? De onde vem os peixes se não havia água?

Isto é o que chamamos “arrebenta pescado”.

Deixem ver se posso aclarar-lhes um pouco mais esta pergunta. Faz muitos anos, digamos uns 30, ponhamos mediando o ano de 1986, quando estávamos na montanha…

1986, quando o EZLN já havia sido derrotado pelas comunidades, porém, todavia não sabíamos, nem elas nem nosotr@s…

1986, quando aqui afora Michael Jackson era, todavia, de tez afro-americana…

1986, quando o Partido Verde Ecologista do México, o Partido Movimento Cidadão, o Partido do Trabalho, o Partido da Revolução Democrática e o Partido do Movimento de Regeneração Nacional, todavia se chamavam Partido Revolucionário Institucional e tinham em Carlos Salinas de Gortari ao delfim sucessório cuja política econômica, todos eles avaliaram hoje em dia, e o Partido Nova Aliança e o Partido Encontro Social, todavia se chamavam de Partido Ação Nacional.

(décadas depois, o EZLN já há reconhecido sua derrota e tem outra estrutura; Michael Jackson, ainda que com outra cor, seguiu sendo Michael Jackson; e o PRI e o PAN, seguem sendo os mesmos, ainda que com outras cores)…

Mediando 1986, quando umas semanas depois, no mundial de futebol, esse dervixe, esse “intermediário entre o céu e a terra” chamado Diego Armando Maradona, arrancou desde a meia cancha, e deixou semeado, e com a cintura quebrada, a quanto jogador inglês que topou, até que, ao fim saciado, lançou a bola à rede em uma jogada que marcou esse século XX e todavia faz que os velhos aficionados se digam, ao olhar os bordados de Leonel Messi, “ bah! eu vi Maradona fazer a demonstração científica de que deus existe e é redondo”.

Ok, isso não soou muito ortodoxo que digamos.

Bueno, 1986, nesse então, estávamos em um acampamento insurgente chamado “Reclutas”. Um grupo de citados lhes pediu ao comando autorização para ir a um povo próximo a recolher pescado. “Será a pescar”, lhes disse o comando. “Não”, disseram, “a recorrer, porque é seu tempo de que arrebenta pescado”. O comando quis saber de que se tratava isso e lhe disseram: “está o arroio seco, primeira chuva, arrebenta pescado, não há água, o agarras assim no mais”. Porém é peixinho? Perguntou cético o comando.

“Não, já grande, já pescado, sardinha ou bobinho, pois”, lhe responderam. O comando disse “A magia não existe, porém continua”. Ao outro dia regressaram com um saco cheio de pescado fresco. Essa tarde, comemos tanto caldo de pescado, que as árvores que cobriam o acampamento se adornaram com uma luz fluorescente que houvera podido ser vista sem problemas pelo telescópio espacial Hubble.

Em resumo: não há mais que uma via seca, uma primeira e tímida chuva, e, no leito apenas úmido e manchado com umas quantas poças, mil pescados adultos brincando desconcertados, e com a mesma mirada desconfiada que agora têm vocês. Qual é a explicação científica? Fim da aclaração ociosa. Sigo com as perguntas:

Quando há um paciente ou uma pacienta, e sofre fratura de osso, o médico amputa a parte afetada ou lhe põe um ferro (parafuso). Porém se a est@ paciente@, lhe trata um@ osseir@, el@ lhe cura.

Qual é a explicação desta situação?

Com os alimentos químicos, enlatados, embalados, engarrafados, danam ou não a saúde? São as substâncias que danam ou o que é daninho à saúde ou de plano não são daninhos estes produtos alimentícios? Qual é a explicação científica, se as medicinas químicas curam uma enfermidade, porém danam outras partes do organismo? Pode-se plasmar cientificamente que a medicina química não dane e só te cure a parte afetada?

Cientificamente, se tem comprovado quais de todos os herbicidas químicos danam mais e quais danam menos?

Como ter o conhecimento científico para saber e melhorar a produção, que substâncias orgânicas se necessitam?

Qual é a explicação científica, do por que existe o nervosismo, o medo e o valor?

Por que há nuvem negra e nuvem branca?

Tem alguma explicação científica que quando sonhamos algo, logo chega a cumprir-se no real?

Existe o há uma explicação através do estudo científico sobre telepatia?

Que explicação científica há sobre a relação do movimento da lua para semear sementes ou árvores frutíferas?

Também ao tombar uma árvore para construção, e para que, não se pique igual no corte da palma, para o teto da casa. Que relação tem a lua com os movimentos da terra e que explicação científica há?

Trato de aclarar: a palma que servirá para fazer o teto, e a madeira que será forquilha e travessão nas choças, deve cortar-se quando há lua cheia (“lua maciça”, dizemos), se cortas quando não é lua cheia, a palma e a madeira se enchem de caruncho, apodrecem, não servem.

Qual é a explicação científica da qual calculam o tempo da construção das ruínas?

Qual é a explicação científica acerca dos relâmpagos, dos trovões, etc.?

 De que se compuseram ou como estão formados, de que substâncias os recursos minerais que estão dentro da terra como ouro, prata, petróleo, etc.?

Que explicação científica há quando alguns animais como o galo, os micos, ou chacha lacas (um galináceo sem crista, nem barba), cantam e anunciam uns fenômenos ou câmbios na madre natureza?

 

Que explicação científica há quando algumas pessoas que ao dormir roncam e qual é a cura?

 

Como está estudado cientificamente que os alimentos enlatados, engarrafados durante seu tempo de caducidade marcada não sofre alguma mudança que dana a saúde das pessoas?

Fizeram estudos científicos, de como nossos antepassados estudavam o movimento dos astros?

Qual é a explicação científica, do por que se dão os terremotos?

Qual é a explicação científica da formação dos vulcões e de quê substância estão formados?

Cientificamente, qual é a explicação do por que, surge o vento, como se formam os tornados e os furacões, os ciclones e o que são?

Qual é a explicação científica, por que quando há enfermidades (peste) dos animais de curral, morrem as galinhas e aos patos não lhes passa nada, por que sucede isto? Ou quando as galinhas estão junto com os borregos e coelhos, não passa nada às galinhas, qual é a explicação científica?

Qual é a explicação científica, de que há alguns animais que veem muito bem na escuridão e outros não, e por que as pessoas só podem ver de dia ou com a luz?

Quando nasce um bebê e só seu coração palpita, está vivo, porém, o corpo esta verde, morto, está imóvel, então em um recipiente com agua fervendo, se coloca a placenta do bebê e sem cortar o cordão umbilical, o bebê começa a se recuperar enquanto a placenta se desintegra na água fervendo. Também si, se queima a placenta, até ficar completamente assada, o bebê se recupera, qual é a explicação científica?

Qual é a explicação científica, quando as pessoas adoecem e se põem como loucas, e esta enfermidade desenvolve-se aos 12, 20 e 30 anos?

A água salgada e a sulfúrica, que há em alguns arroios ou mananciais, cientificamente, que utilidade tem para a humanidade?

Cientificamente, é necessário vacinar-se e por que, ou há meios e/ou formas para substituir as vacinas por outras coisas? Por exemplo, as enfermidades como coqueluche, sarampo, varíola, tétano, etc.

Como se explica cientificamente, como se forma os arco íris, por que se diz que tem sete cores e qual é a função que tem?

Como se define, quando há uma gravidez, que são gêmeos, trigêmeos, etc.? Qual é a causa e por que sucede isto? E por que na hora da fecundação é menino ou menina? Qual é a explicação científica?

 

Nós sabemos que as abelhas fazem um trabalho importante na polinização das plantas, e as flores para a fecundação e reprodução, então que passa com as estufas, onde sim, brotam as flores, porém não há a polinização, como se explica cientificamente?

Explica-se cientificamente sim é verdade que os telefones e os celulares fazem dano ao usar pelas radiações de ondas, qual é a potência máxima e qual é a categoria da frequência? Uma repetidora de sinais de telefones e celulares que potência mínima ou máxima transmite ou retransmitem, faz dano o não faz dano? As emissoras de onda curta, a AM, a FM e a TV fazem dano pelas radiações das ondas? As micro-ondas para os enlaces de emissoras (FM) e as micro-ondas domésticas, qual é sua categoria de frequência, as radiações provocam dano?

Explica-se cientificamente qual é a velocidade da luz do sol e que diferença há com a luz artificial?

Cientificamente, que métodos ou fórmulas aplicam-se para medir distâncias em longitude e altitude?

Cientificamente, a que altura no mínimo e no máximo voa um avião à diferença de um helicóptero?

Cientificamente, que métodos se usam para calcula o diâmetro, o volume e o peso do globo terráqueo?

Cientificamente, em que consiste a ciência mias exatas que é a matemática? Desde quando e onde nasceu a matemática e quem a descobriu?

Cientificamente, a transformação do homem vinho do macaco?

Cientificamente, que substâncias contem o trago (vinho) e o álcool e que efeitos causam ao ser humano?

Cientificamente, está estudado que as substâncias que contém anabolizantes, salbuterol e clenbuterol, e os implantes que se usam para a engorda de gados, frangos, porcos não danam a saúde humana?

Cientificamente, está estudado se os métodos de planificação (por exemplo, os hormônios) fazem dano à saúde das mulheres?

Está estudado cientificamente, por que, as radioterapias e quimioterapias (e outras), curam algumas partes do corpo humano enfermo, porém provocam outros danos?

Cientificamente, está estudado que danos trazem, ao cruzar, através da polinização das sementes transgênicas e melhoradas com as sementes nativas? Que danos causam ao meio ambiente (árvores frutíferas, flores, abelhas)? A ciência há descoberto como proteger às sementes nativas e o meio ambiente pela contaminação das novas sementes melhoradas e transgênicas?

Cientificamente, está comprovado que o flúor em gel, pasta dentais, fluoração da água, inclui em lograr um esmalte resistente ao ataque das cáries, porém há um artigo que se titula “as mentiras do flúor” que diz que são causa de índices mais altos de câncer, cáries, fluorose dental, osteoporose e outros problemas da saúde. Qual é a verdade?

Se o casal é de dois tipos de sangue diferentes, há algum problema ou consequência nas pessoas?

E por que se produz a “preeclamsia e eclamsia”? Como se pode prevenir para que não atinja a mulher grávida?

A enfermidade de Chagas que é produzida por mosquitos americanos, as investigações científicas, haviam suspendido desde 1989 por não considerar como um negócio, porque só existe nas comunidades pobres essa enfermidade. Já continuaram as investigações e já há medicamento para combatê-la?

Cientificamente, se pode explicar o que contém os raios do sol da manhã e da tarde, que faz com que ajude ao corpo de um bebê prematuro, para seu desenvolvimento, e comparando com a incubadora, que faz ou o que contém a incubadora?

Explicar cientificamente, por que a deficiência da linguagem técnica, das diferentes ciências, impede a formação de conceitos precisos, sobre objetos fundamentais, para o bem da terra ou da humanidade?

Cientificamente, está estudado que os sabões detergentes e aromatizantes não danam a saúde e a natureza, que substâncias têm?

Haverá uma explicação científica, por que quando uma pessoa se assusta se põe pálida, cai o cabelo, dorme muito ou se desestabiliza alguma função de seu corpo?
Haverá uma explicação científica, sobre o desgaste dos polos? Dizem que é o aquecimento global, outros dizem que é cíclico qual é a verdade?

Cientificamente, está demonstrado que se fazem transplantes de órgãos, por que de ossos não?

Com os estudos do genoma humano, que enfermidades podem ser prevenidas e curáveis, e quais são as consequências, se as existem?

Dizem que, ao utilizar os computadores, celulares, tabletes e outros, ao entrar a internet, automaticamente rastreiam os arquivos que temos. Cientificamente, é certo ou não, e se é certo, de que forma podemos evitar que passe isto?

O desenvolvimento da mente d@s menin@s é diferente que ao dos adultos, como se explica cientificamente esse câmbio e o que podemos fazer, para manter e melhorar o bom funcionamento do cérebro?

As enfermidades específicas da mulher, como os tumores ou o câncer de mama, quistos nos ovários, ou mioma, qual são as causas? Como prevenir ou curar?

Que substâncias tóxicas tem os absorventes femininos, as fraldas descartáveis, as bandagens, etc., e em que afeta a saúde da mulher e das crianças?

Cientificamente, pode-se comprovar que existem coisas sobrenaturais, nas pessoas ou em algumas pessoas?

Por que nestes tempos, se há acelerado ou aumentado, o número de crianças que nascem com deformação física (sem braços, sem pés, etc.) Como se explica cientificamente?

Cientificamente, está demonstrado, que já se pode clonar as pessoas e aos animais?

As lentes de aumento, utilizadas para ver melhor, quando a vista foi danada por diferentes causas, cientificamente está estudado, se causa algum dano, ao cérebro das pessoas que a utilizam?

Com os grandes avanços científicos e tecnológicos, há alguma consequência, que pode sofrer a inteligência dos seres humanos?

Qual a explicação científica para a velhice?
Qual é sua explicação científica, que há cérebros, que são rápidos em captar, outros menos, outros muito lentos e outros nada?

 Como nos aconselham se é possível, que nós possamos aprender a manejar, equipes e aparatos, para melhorar a terra e elaborar medicinas?

Bom, essas são algumas perguntas fáceis. Agora, algumas das que, talvez, podem apresentar alguma dificuldade:

Cientificamente, estudaram que todos seus trabalhos, como científicos que são algum dia beneficiaram ao povo?

Que dizem vocês, quando do que foi estudado, ou criado com a ciência, que fizeram para ter mais conhecimento e para o bem do povo, porém resulta que alguém desvia ou utiliza para outro fim, por exemplo, as bombas atômicas, ou todos os resíduos que contaminam tanto à mãe natureza?

Cientificamente, estudaram se é possível fazer construções sem danar a mãe natureza, assim como fizeram nossos antepassados?

Cientificamente, a mãe natureza, tem órgãos e defesas como os seres humanos?

Porque o ser humano, se tem um parasita que lhe faz dano, tem suas defesas para eliminar esse mal. Não será porque a terra tem o parasita do Capitalismo, e se defende desse mal?

Qual é a explicação científica, que faz com que a mesma mãe natureza, tenha reações fortes ou há sofrido câmbios? Por exemplo: o mar, que vai comendo mais e mais a terra, etc.

Por que os científicos inventam coisas que sabem que danam, ou é porque se inventa e não sabem se danam ou não?

 

Está cientificamente estudado, isso dizem, que está rota a capa de ozônio (atmosfera)? E dizem que por este dano, há muitas pragas, então, como se cura? O que, ou quem, lhe danou ou lhe está danando? E se foi feito estudo científico, é possível reparar,  ou definitivamente, é um dano irreparável?

Sabendo que o mundo está em um processo de desumanização, como científicos, que analise ou que estudos científicos fizeram, ou estão fazendo, para o futuro da humanidade?

Têm estudado cientificamente, se tem em seu controle essa ciência científica, que têm?

Há demonstração científica, que as enfermidades (peste) de animais, são artificiais ou naturais?

Há estudo científico, que uma vez que se acabam os recursos naturais (ouro, prata, petróleo, urânio, barita, etc.), o que vai a passar?

Há estudo científico, que quando se acaba tudo, há outra forma, de como substitui-lo? E, em quanto tempo se recupera, se é que se recupera ou não? Cientificamente, nos podem dizer, se ocasiona danos ou não à mãe natureza, ou extrair cada uma destas riquezas?

Irm@s científic@s, em seus trabalhos, estudos científicos, quando fazem seus experimentos, etc. como científicos que são, compartem seus conhecimentos, criam, experimentam em equipe, ou em coletivo, ou todos no individual, que é como uma competição? Então é possível compartilhar em equipe, dar cursos e oficinas, dar classes de capacitação a outras pessoas?

Todos os conhecimentos naturais, dos povos originários, é justo que outro patenteie?

Cientificamente, estudaram que, se vocês como científic@s não existiram, talvez não existissem os ricos?

Cientificamente, há estudos, de que se pode viver sem o capitalismo?

Qual é a explicação científica, ou não científica, do por que, se inventou o dinheiro?

Que explicação científica há e que segurança há, que um dia vão a substituir as máquinas à humanidade (ou seja, às pessoas)?

Que explicação científica tem que as especialidades médicas não podem atender um parto normal e, quando o bebê está em uma posição fora do normal, fazem uma cesárea; e as parteiras tradicionais lhe acomodam na posição para um parto normal? Ao igual quando o bebê vai enredado com o cordão umbilical no pescoço, o médico faz uma cesárea e, ao contrário, a parteira lhe acomoda e faz um parto normal.

Cientificamente, por que e para que, se criaram os bancos, qual é a função científica de um banco e quais são seus segredos?

Cientificamente, há ou haverá uma explicação por que os países pobres não podem pagar a dívida externa ou há uma explicação para que não paguem dita dívida?

 

Cientificamente, podem explicar-nos os princípios do neoliberalismo?

Quais são os princípios éticos da ciência?

Com a ciência matemática se pode deter o extermínio da mãe terra, e se não, quem pode?

Cientificamente, por que há uns quantos ricos e milhões de pobres?

Há estudo científico, de como estão destruindo a nossa mãe natureza, com formas que não vemos e não conhecemos?

Qual é a explicação científica, pela qual, os grandes empresários querem ser, os donos do mundo, destruindo a humanidade e a mãe natureza?

Sabendo que a petroquímica fabrica a maioria dos produtos que usamos e que são tóxicos. Por que seguem fabricando?

Como científicos criaram algo que não destrói que não dana sabendo que outro o usa como mercadoria, porém, agora se sabe que sim dana. Que pensam agora, como pensam seguir e como quem seguir?

Há estudos científicos que nós os povos originários destruímos a mãe terra ou há estudos científicos que são outros os que estão destruindo a humanidade e a mãe terra ou quem é o que faz o dano?

Vêm vocês necessário e urgente unir a ciência com os esforços e os conhecimentos organizados dos povos originários em resistência e rebeldia pela defesa da vida, da saúde e a Mãe Terra?

De acordo a suas experiências, como científicos, qual é a melhor forma de ensinar ciências às crianças, ás jovens e aos jovens, das escolas autônomas e a dos povos, para preparar às futuras gerações, e estariam dispostos a compartilhar coletivamente seus conhecimentos?

Cientificamente, já está comprovado, que a energia solar pode mover máquinas, carros, para substituir aos hidro carburetos, por que não substituíram até agora?

Cientificamente, se pode predizer, quanto tempo de vida resta ao planeta terra? E, se pode predizer, quanto tempo de vida resta, ao capitalismo?

Existe alguma explicação científica, do por que, existem certos valores de dinheiro, por exemplo, o dólar, o euro, a diferença do peso, e em que consistem os limites de produção de dinheiro de cada país?

Estudaram cientificamente, se não é uma pena, onde fazem guerra os capitalistas, que até os animais matam, sem conhecer por que, e que pensam vocês a respeito destes danos?

 

 

Que pensam como científicos, por que a ciência é utilizada e controlada pelos militares, para a construção de armas sofisticadas, e o que se pode fazer para deter a carreira armamentista?

É certo que existem as ciências ocultas, e em que se baseiam?

Há uma explicação científica das condutas humanas? Por exemplo, há uma explicação científica, da conduta dos desprezíveis capitalistas, de por que são tão malditos e não tem limites? É que algo está mal em sua cabeça, ou seja, em seu cérebro, ou por que é que, enquanto, mais assassinam e destroem mais contentes estão?

Cientificamente, podem nos explicar, por que o capitalismo prepara certas crises, a cada tempo, para reativar sua economia?

Com todos os danos, que os capitalistas provocam ao povo, com o mau uso da ciência, cientificamente, se pode criar uma ciência verdadeiramente humana, para não cair em uma ciência inumana, e, se pode criar, uma ciência verdadeiramente humana, quem a pode criar?

Nós com nossa luta de liberação, vemos e sentimos, a realidade que provoca a Hidra capitalista, e algo devemos fazer, por isso estamos criando uma nova sociedade, e um mundo novo, para salvar a natureza pelo bem da humanidade, onde não haja injustiça, desigualdade, exploração e miséria.

Para isto, se necessita a unidade dos povos originários, todos os explorados, os artistas e vocês, como científicos. Porque, os inventos e descobrimentos de vocês, são mais importantes para o desenvolvimento da humanidade. O que pensam e que dizem a respeito?

Irm@s, companheir@s científic@s, a vocês, que são diferentes em conhecimento, porém que temos algo em comum, junto com outros setores, porque o capitalismo nos explora igual, e usam mau nossos conhecimentos, Que pensam, vamos permitir que siga a exploração, ou há outra forma para viver, com justiça e liberdade, haverá maneira de trabalhar, com unidade e coletivamente, e defender a vida e a humanidade?

Irm@s, companheir@s científic@s, a exploração e o maltrato, do ser humano e da natureza, há provocado muito sofrimento e morte, quiséramos que os exploradores, e alguém, que não sofre como nós sofremos e morremos se ponha em nosso lugar. Isto nos provocou pensar, que algo se tem que fazer, e quem são necessários. Concluímos pensando que os artistas, os científicos e os povos originários, com os que são de abaixo, juntamos nossa sabedoria, e vamos começar a construir um novo mundo, onde vivamos, e vivamos bem. Estariam vocês, de acordo, a ser parte da construção do novo mundo conosco?

Irm@s, companheir@s cientific@s, nós como zapatistas, pensamos que a ciência em si é uma serie de conhecimentos, que poderiam ajudar-nos a desenvolver um sistema mais humano, onde nossos sonhos de unidade e conservação, da mãe terra e dos seres vivos, sejam possíveis.

Ao mesmo tempo, destruiríamos mais rápido, o monstro capitalista. Então seus sonhos, seus conhecimentos, sua ciência, cabem no mundo da opressão? No despojo, no horror, o medo e o extermínio da vida, cabem seus sonhos? Creem vocês que a ciência pode humanizar-se coletivamente, com os povos do campo e da cidade?

Irm@s, companhir@s científic@s, o que pensam das mulheres, que estão sendo exploradas, manipuladas, marginalizadas, assassinadas, torturadas, sequestradas, discriminadas por suas cores, e nos utiliza como objetos, para promover suas mercadorias do capitalista, nos usam como publicidade de propagandas, e traspasso de drogas, nos usam para obter satisfações, de relações sexuais, nos prostituem, para obter vendas de artigos, para ter lucros?

Porque vemos, com dor a violência, e a morte, que dia a dia, enfrentam mil mulheres no mundo, e não só sentimos dor, senão, raiva e coragem.

Por exemplo, nós como mulheres zapatistas, estamos exercendo nosso direito e liberdade, de participar em nosso governo autônomo, de mandar obedecendo, vimos que é um espaço para nós, para a construção de uma sociedade nova. Que pensam vocês, como científicas, para poder ser livres, de todos esses sofrimentos e maldades, que fazem o sistema capitalista, e o que podemos fazer vocês, e nós mulheres? Já que sem nós, as mulheres, o mundo não vive, quanto tempo tem que se esperar como mulher, para ser livres, é agora, ou nunca? Nós, como mulheres zapatistas, vemos que é possível organizar, lutar, trabalhar, vemos que vocês e nós nos necessitamos.

-*-

E, já para terminar esta seção, deixo duas perguntas. A primeira agregou o Subcomandante Insurgente Moisés:

Qual é a explicação científica, do por que, lhes entra seu sonho às insurgentes e insurgentes, quando se dá a prática política?

Ainda que, dizem que, não podem dormir, no mais, se dá a prática politica, e até roncam, há uma explicação científica, ou é por que se fazem patos e patas?

A segunda encontrará seu sentido, na próxima sessão:

Por que essa flor é dessa cor, por que tem essa forma, por que tem esse cheiro?

-*-

(El Sup saca os bonequinhos, de Einstein e Sherlock Holmes, e os coloca no centro, do lado do par de figuras do gato-cão)

Como todo alquimista que se prese, sinto uma mistura de inveja e admiração, por quem, sem deixar de atender os problemas mundanos de injustiça e escravidão, fazem ciências duras (como Albert Einstein aqui presente) e por quem, logra ir mais além do universo abstrato, e aplicam as ciências, na busca da verdade e da justiça (como o detetive consultor Sherlock Holmes).

Einstein e Holmes, ambos representando o compromisso, de seu que fazer científico e técnico, com a transformação social. Ambos recordamos que, como há assinalado antes, o companheiro Subcomandante Insurgente Moisés, não podemos delegar para outros, a tarefa que nos corresponde, como seres humanos cabais.

Porque, ainda que eu, só seja um alquimista medíocre, vocês, que fizeram do que fazer científico, seu motor e destino, coincidiram comigo, e com o plural que aqui se aninha e com vocês se encontra, que algo tem que ser feito. E que esse algo, não tem nada que ver, com a irresponsabilidade, de delegar para outros a responsabilidade de algo a fazer.

Claro, vocês dirão que faço trama. Que, ao dispor em frente, as figuras de Albert Einstein e Sherlock Holmes, recorro a uma chantagem tosca e caricaturesca para assim obrigar-lhes a aderir a uma proposta política, que aspira a hegemonizar e homogeneizar tudo: as ciências, as artes, a vida.

Pudera ser, porém não. Deixemos de um lado por um momento as chantagens, mais próprias do romance adolescente e da política de cima, que se enche a boca de “amor” e “fraternidade”, enquanto milita no desprezo, no racismo, na intolerância e no “detrás de mim ou contra mim”, que toda proposta fascista supõe.

Notem vocês, que pus, ao lado de Einstein e Holmes, as figurinhas do Gato-cão. Ao mesmo tempo, olhando este par, e olhando a vocês.

O Gato-cão, fazendo às vezes de Doutor Watson, disposto a contar suas façanhas científicas, é dizer, humanas.

Porém também, o Gato-cão assinalando as sombras de Moriarty e o Projeto Manhattan, advertindo, sobre a presença execrável e depredadora da Hidra, o sistema sempre disposto, a operar sua alquimia perversa e converter o conhecimento para a vida e a criação, em conhecimento para a destruição e a morte.

Assim que, mais que uma chantagem, eu estou representando, o que é este encontro, entre sua ciência e nossas consciências zapatistas.

Estou mostrando que lhes olhamos e que nossa mirada é também uma forma de lhes escutar e aprender.

Que nossa mirada, tem essa mescla de admiração e inveja, pelo que vocês são; pelo que, ao menos para nós tod@s zapatistas, lhes faz especiais.

E nossa mirada não está esperando ou desesperando.

Nossa mirada simplesmente lhes está perguntando:

E vocês o quê?

Desde o CIDECI-Unitierra, Chiapas, México, Latinoamérica, Planeta Terra, Sistema Solar, etecetera.

SupGaleano

 

 

 

 

 

 

Share

No hay comentarios »

No hay comentarios todavía.

RSS para comentarios de este artículo.

Deja un comentario

Notas Importantes: Este sitio web es de la Comisión Sexta del EZLN. Esta sección de Comentarios está reservada para los Adherentes Registrados y Simpatizantes de la Sexta Declaración de la Selva Lacandona. Cualquier otra comunicación deberá hacerse llegar por correo electrónico. Para evitar mensajes insultantes, spam, propaganda, ataques con virus, sus mensajes no se publican inmediatamente. Cualquier mensaje que contenga alguna de las categorías anteriores será borrado sin previo aviso. Tod@s aquellos que no estén de acuerdo con la Sexta o la Comisión Sexta del EZLN, tienen la libertad de escribir sus comentarios en contra en cualquier otro lugar del ciberespacio.


Archivo Histórico

1993     1994     1995     1996
1997     1998     1999
2000     2001     2002     2003
2004     2005     2006
2007     2008     2009     2010
2011     2012     2013
2014     2015     2016     2017

Comunicados de las JBG Construyendo la autonomía Comunicados del CCRI-CG del EZLN Denuncias Actividades Caminando En el Mundo Red nacional contra la represión y por la solidaridad Artículos