lista de correosrecibe automaticamente las actualizaciones a tu correosiguenos en tuitersiguenos en facebook

enlaceZapatista

Palabra del Ejército Zapatista de Liberación Nacional

Abr152013

Datas e outras coisas para a escolinha zapatista.

Datas e outras coisas para a escolinha zapatista

Exercito Zapatista de Libertação Nacional

México

Março de 2013.

Companheiras, companheiros, irmãos e irmãs da Sexta:

Sobre visitas, caravanas e projetos.

Vocês sabem que estamos preparando as aula de nossas escolinhas,e nisso nos iremos concentrar, para que tudo saia bem, e sejam bons e boas os alunos e as alunas.

E nós, juntamente com as autoridades, pensamos que existem coisas que não poderemos fazer, para que não perdermos o foco, por exemplo: recebê-los para uma entrevista, trocar experiências, caravanas, equipes de trabalho, ou discutir uma ideia de projeto. Então, por favor não faça a viagem para nada, pois nem a junta de bom governo, ou as autoridades autônomas, nem as comissões de projetos serão capazes de atendê-los.

Se qualquer pessoa ou coletivo esta pensando em trazer caravana com apoio para as comunidades, pedimos que aguardem até que chegue a hora para isso, ou se você já tiver providenciado a viagem, então por favor pare no CIDECI com o Dr. Raymundo, aqui em San Cristobal de Las Casas, Chiapas, México.

Não estamos dizendo que NUNCA, mas que por agora NÃO porque queremos nos concentrar na escolinha. Para que não se entenda mal, queremos avisar-lhes o porquê de que não os iremos atender.

Dizemos isto para que não se planejem viagens que requeiram conversas com autoridades, porque não seremos capazes de atendê-los, pela simples razão de que todo o nosso esforço é para a nossa escolinha, para você, para o México e para o mundo, e é por isso que o esforço vai para lá.

E assim estaremos nas Juntas de Bom Governo e nos cinco caracóis, não poderemos atendê-los. Mas será possível visitar os caracóis.

O mesmo para os projetos que já existem nas 5 juntas, existem coisas que não vamos poder fazer, somente aquilo que não seja necessária consulta ou muito movimento para nossos povos. Se não, vai ficar para outra ocasião.

Queremos que vocês nos entendam, que para nós não é tempo de caravanas, ou projetos, ou entrevistas, ou troca de experiência, ou outras coisas. Para nós, os zapatistas, as zapatistas, é hora de nos prepararmos para a escolinha. Nós não vamos ter tempo para outras coisas, a menos que o mal governo apronte uma das suas, e então a coisa muda de figura.

Com vocês companheiros, companheiras, irmãos e irmãs acreditamos que há compreensão.

Sobre escola.

Aqui vão as primeiras informações sobre a escolinha, para que já se preparem aqueles que vão receber as classes.

1 -. Para a Festa dos Caracóis estão convidados todos e todas que se sintam convocados. A festa será nos 5 caracóis, assim que podem ir ao que queiram. A chegada será no dia 8 de agosto, 9 e 10 será a festa, e 11 é dia de retorno. Cuidado: a festa não é o mesmo que a escolinha. Não confundam.

2 -. Com esta festa, as bases de apoio zapatistas irão celebrar o décimo aniversário da Juntas de Bom Governo, mas não só.

3 -. Por estes dias começa a nossa pequena escola muito outra em que noss@s chef@s, quer dizer, as bases de apoio zapatista, vão dar aulas de como foi seu pensamento e sua ação em liberdade segundo o zapatismo, seus acertos, seus erros, seus problemas, suas soluções, o que têm avançado, o que está travado e que está faltando, porque sempre falta o que está faltando.

4 -. Primeiro curso (faremos muitos para que possam participar tod@s), o primeiro nível é de 7 dias, considerando chegada e partida. Chegada em 11 de agosto, a aula começa 12 de agosto de 2013 e termina em 16 de agosto de 2013. E no dia 17 de agosto de 2013 é a partida. Aqueles que já terminaram o curso e querem ficar mais tempo, podem visitar outros caracóis diferentes daquele que fizeram o curso. O curso é o mesmo em todos os caracóis, mas você pode conhecer outros caracóis diferente daquele que você esteve, mas então cada um vai por sua conta.

5 -. Pouco a pouco vamos contando como será isso da inscrição na escolinha de liberdade segundo os zapatistas, e as zapatistas, mas já adiantamos é laica e gratuita. A pré-inscrição será com as Equipes de Apoio da Comissão Sexta, nacional e internacional, no site Enlace Zapatista e através de e-mails. O registro de alunas e alunos será no CIDECI em San Cristobal de Las Casas, Chiapas. Convites vão começar a ser enviados, conforme vamos podendo, a partir de 18 de março de 2013.

6 -. Mas não pode ir aquele que quiser a escola, senão que vamos convidar diretamente. Est@s compas que convidemos, nós vamos cuidar, vamos dar de comer, um lugar onde dormir, e vamos ter um guardião ou guardiã, que seja seu “Votán” que vai cuidar para que esteja bem e não sofra nas classes, só um pouco, só aquele pouco necessário.

7 -. Os alunos e as alunas terão que estudar bastante. O primeiro nível tem quatro temas são: Governo Autônomo I, Governo Autônomo II, Participação das Mulheres no Governo Autônomo e Resistência. Cada tema tem o seu livro-texto. Os livros didáticos tem entre 60 e 80 páginas cada, e o que lhes apresentou o SupMarcos é apenas uma pequena parte de cada livro (3 ou 4 páginas). Cada livro vai custar 20 pesos mexicanos, que é o preço de custo.

8 -. O curso dura sete dias o primeiro nível, e segundo o tempo de cada compa, porque sabemos que cada um tem o seu trabalho, sua família, sua luta, o seu compromisso, ou seja o seu calendário e sua geografia.

9 -. O primeiro curso é apenas de primeiro grau, e faltam muitos mais, ou seja, não vai acabar rápido a escola, mas ao contrário demora. Aqueles que passarem a primeira fase poderão fazer para o segundo nível.

10 – Sobre os gastos: O compa, a compa têm que ter garantir a sua passagem até o CIDECI, em San Cristobal de Las Casas, Chiapas, e também a sua passagem de volta. Do CIDECI, eles vão para a escolinha que lhes cabe e, quando terminar, retornam ao CIDECI já para de lá, ir para os locais de cada pessoa. Lá na escola, que é na comunidade, não precisa ter vergonha, vai ficar garantido o feijãozinho, as verdurinhas e a tortilla. Ou seja, os gastos de cada aluno vão cobrir os zapatistas. Cada estudante ou estudanta vai morar com uma família indígena zapatista. Nos dias que esteja na escola está será a família do aluno ou da aluna. Com esta família vai comer, trabalhar, descansar, cantar, dançar, e eles o vão encaminhar a sua escola. E o “Votán” ou o guardião ou a guardiã, vai estar acompanhando ele ou ela sempre. Então, vamos estar pendente de cada estudante ou estudanta. E se você ficar doente, pois ali te curaremos e se for sério, vamos te levar a um hospital. Mas o que está na sua cabeça, como vai chegar e partir, sobre isso não poderemos fazer nada, ou seja fica a critério de cada companheiro ou companheira o que vai fazer com o que ver, ouvir e aprender. Desta forma, vai ser ensinada a teoria, a pratica cada um vê como se dá nos espaços de cada quem.

11 -. Para pagar seus gastos escola, bom, isso a gente resolve. De repente, podemos fazer um festival de música e dança, ou umas pintura e artesanato, mas não se preocupe, porque damos um jeito e sempre tem gente boa que apoia coisas boas. Para aqueles que querem doar para a escola, nós vamos colocar um cesto no local de registro de alun@s, ou seja no CIDECI, com os compas da Universidad de la Tierra, em San Cristobal de Las Casas, Chiapas. Então lá cada um põe o quanto pode, e ninguém vai saber quem doou quanto e ninguém fica triste porque doou mais ou menos. Não vai ser permitido que se dê dinheiro ou se deixem presentes diretamente as escolas, famílias, ou caracóis. Isto é para que seja igual o que cada um vai receber. Tudo o que você quiser doar, é no CIDECI, com os compas da Universidad de la Tierra, em San Cristobal de Las Casas, Chiapas, México. Então se junta tudo e se divida por igual, se é que vai ter algo. Se não, não importa, o que importa são vocês.

12 -. Há outras formas de assistir as classes da escola zapatista. Vamos pedir apoio com os compas de meios livres, libertários, autônomos, e quem saiba disso de videoconferência. Porque nós sabemos que muitas pessoas não poderão vir por suas questões de trabalho ou problemas pessoais ou familiares. E há pessoas que não entendem espanhol, mas estão ansiosos para saber como é que os zapatistas, as zapatistas fizeram o que eles fizeram e como eles têm desfizeram o que desfizeram. Então, teremos um curso especial, que será gravado e mandado aonde haja um grupo de aluno e alunas dispostos e com seus livros, assim eles poderão ver o curso, e com isso de internet poderão fazer perguntas aos professores e professoras das bases de apoio zapatista.

Para isto, vamos convidar uma reunião especial com alguns meios alternativos para chegar ao acordo sobre como eles vão fazer as videoconferências e tirar foto e vídeo dos lugares que serão dadas as aulas, para que todos possam ver se é certo ou não o que estão ensinando os professores e professoras.

E outra forma, é vai levar cópias de dvd dos cursos para aqueles que não possam ir a nenhum lugar e só podem estudar em casa, porque essa também é uma forma de aprender.

13 -. Para poder participar da escolinha zapatista, terão que fazer um curso de preparação onde se vai explicar como é a vida nas comunidades zapatistas, as suas regras internas. Para que não se cometa nenhum delito. E o que é necessário levar. Por exemplo, não se devem levar aquelas que são chamados de “barracas”, que também são inúteis, já que vão ser recebid@s por famílias indígenas zapatistas.

14 -. De uma vez lhes dizemos claramente que esta PROIBIDO produzir, comercializar, trocar e consumir qualquer tipo de drogas e álcool. Também esta proibido portar qualquer tipo de armas, seja de fogo o “brancas”. Aqueles que peçam para ingressar no EZLN ou perguntar qualquer coisa militar, serão expulsos. Não se estará recrutando ou promovendo a luta armada, mas a organização e a autonomia para a liberdade. Também se proíbe qualquer propaganda política e religiosa.

15 -. Não há limite de idade para frequentar a escolinha, mas alguém é menor de idade, ele ou ela deve vir com um adulto responsável.

16 -. Quando se inscrevam, depois de serem convidad@s, pedimos que esclareç@am, se são outr@, homem ou mulher para ver como os acomodaremos, para que cada individuo ou individua seja respeitad@ e cuidad@. Nao há discriminação por gênero, orientação sexual, raça, credo, nacionalidade. Qualquer ato de discriminação será punido com a expulsão.

17 -. Se alguém tem uma doença crônica, pedimos-lhe que leve o seu remédio que nos avise para que estejamos cientes e possamos cuida-lo caso ocorra algo.

18 -. Quando se inscrevam depois de serem convidad@s, pedimos que nos digam sua idade e condição física e de saúde para que os acomodemos em uma escola em que não sofram mais do que o necessário.

19 -. Se convidad@ e não puder comparecer nessa primeira data, não seja tímido. Basta dizer-nos quando pode e a gente faz o curso quando você possa. Além disso, se alguém não pode concluir o curso ou não pode chegar quando já está inscrito, não há problema, você pode terminar mais tarde. Embora, lembre-se que você também pode participar de vídeo conferências ou cursos que estarão sendo dados fora do território zapatista.

20 -. Em outros escritos estarei explicando mais coisas e esclarecendo as dúvidas que possam ter. Mas eu digo que isso é o básico.

Isso é tudo por agora.

Das montanhas do sudeste mexicano.

Subcomandante Moisés.

Reitor da Escolinha zapatista.

México, em março de 2013.

PS- Pedi ao SupMarcos que coloque neste escrito alguns vídeos que tenham a ver.

Francisco Gabilondo Soler Cri Cri, com uma canção que já faz parte da música clássica: “Caminho a escola” (1.video)

 

Os esquilinhos de Lalo Guerrero com “Vamos a escola” e os pretextos de Pánfilo para não ir a escola.(2. Vídeo)

 

Os problemas da escola ao ritmo de ska, com a Tremenda Korte e esta cancao “Por Nefasto”. (3. Vídeo)

*************************

Traducción de Luisa desde Brasil.

**************************

Share

4 Comentarios »

  1. ¡Compartir es abrir puertas… Enhorabuena!

    Comentario de Virginia — Abril 15, 2013 @ 6:01 pm

  2. Luisa,
    Obrigada pela tradução.
    Marilia, Santo André – Brasil

    Comentario de marilia iniestas — Abril 16, 2013 @ 7:39 am

  3. Companheirada,

    Queria dizer que fiquei muitissimo feliz em ver essa lindeza informada pra gente em português. Sou estudante de educação aqui em Natal, RN e estou começando a me organizar para uma pesquisa de doutorado voltada a compreender um pouco mais da educação de nossas crianças em contextos de enfrentamento a esse modo de produção de vida, que só produz morte. Nesse sentido estarei indo ao México nos últimos meses desse ano e queria tentar a possibilidade de um contato por lá 🙂
    Fico torcendo pra dar certo, mas agradeço desde já a atenção por ler isso tudo aqui.

    Há-braços!

    Comentario de Thiago Araújo — Mayo 26, 2013 @ 3:07 am

  4. Gostei da tradução. Obrigada. Gostaria de ir este ano mas não posso, irei o próximo ano.
    Um abraço zapatista!

    Comentario de Maria Cristina Gonçalves — Julio 7, 2013 @ 8:42 pm

RSS para comentarios de este artículo. TrackBack URL

Deja un comentario

Notas Importantes: Este sitio web es de la Comisión Sexta del EZLN. Esta sección de Comentarios está reservada para los Adherentes Registrados y Simpatizantes de la Sexta Declaración de la Selva Lacandona. Cualquier otra comunicación deberá hacerse llegar por correo electrónico. Para evitar mensajes insultantes, spam, propaganda, ataques con virus, sus mensajes no se publican inmediatamente. Cualquier mensaje que contenga alguna de las categorías anteriores será borrado sin previo aviso. Tod@s aquellos que no estén de acuerdo con la Sexta o la Comisión Sexta del EZLN, tienen la libertad de escribir sus comentarios en contra en cualquier otro lugar del ciberespacio.


Archivo Histórico

1993     1994     1995     1996
1997     1998     1999
2000     2001     2002     2003
2004     2005     2006
2007     2008     2009     2010
2011     2012     2013
2014     2015     2016     2017

Comunicados de las JBG Construyendo la autonomía Comunicados del CCRI-CG del EZLN Denuncias Actividades Caminando En el Mundo Red nacional contra la represión y por la solidaridad Artículos